20/06/14

João Valle inova na (re)criação da Bandeira Nacional...

A Escola Municipal João Valle Maurício, através da grande ideia da diretora Ana Alice Pereira e execução da Inspetora de aluno, Cida Guimarães, inovou mais uma vez: conseguiu reproduzir a Bandeira Nacional na ala suspensa do pátio da escola. Foi um dia de festa! Os alunos e Professores entraram no clima da Copa do Mundo e contribuíram para a organização das mesmas. O Professor Joílson e o Professor Aílton fizeram a manutenção das mesmas. Na verdade, foi um projeto que contou com a ajuda de "vários braços"...Nossos méritos também ao Sr. Adão, porteiro e "mão pra toda obra", na fixação das bandeirolas. 
Pra frente, Brasil!!!
Pra frente, João Valle!!!

Abaixo, fotos de como ficou a bandeira. Confira os resultados!!!!










17/06/14

PROFESP seleciona aluno da E.M.João Valle Maurício

A Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros (SME), em parceria com o 55º Batalhão de Infantaria do Exército, realizou um grande evento esportivo, denominado "Festival Esportivo", onde alunos puderam participar de provas de 75, 100, 1.000 e 3.000 metros.
Além dos premiados em 1º, 2º e 3º lugares,aconteceu a seleção de alunos que participarão do PROFESP - Programa Forças no Esporte, coordenado pelo 55º Batalhão de Infantaria em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, por meio do Programa Mais Educação,  objetivando revelar  talentos na área esportiva.

Para alegria da E.M.João Valle Maurício, tivemos o aluno Willian Antônio Rocha Oliveira, do 8º Ano Machado de Assis selecionado para participar do referido Projeto. Bastante emocionado e com os olhos cheios d'água, ele recebeu a notícia de que era mais um dos talentos da escola. 

A avó do referido aluno foi convocada para vir à escola. Aqui,  recebeu a notícia de que as atividades acontecerão no contra-turno escolar, com práticas esportivas, aulas de reforço, instruções militares, transporte e uma alimentação balanceada segundo orientação nutricional. Além disso, todos selecionados serão submetidos a exames clínicos e físicos e receberão um seguro saúde que os cobrirão quando em um possível acidente. Com tudo isso, ela também ficou muito emocionada.
Abaixo, foto do aluno Willian (direita do vídeo), em uma atividade realizada na quadra da escola.


Parabéns, Willian! Você é o orgulho de nossa escola!!!

13/05/14

Encontro de Professores - 2014

Capa do livro: "O carteiro chegou".
Realizamos nessa terça-feira, a 1ª Reunião de Formação dos Professores do 1º ao 5º anos, na E.E.Américo Martins. Foi um encontro maravilhoso onde pudemos compartilhar com nossos colegas várias práticas pedagógicas, no sentido único de aprimorar aquilo que tão sabiamente já aplicam em sala de aula.

Iniciamos com a belíssima mensagem "Uma carta de Deus para você". Após, a Supervisora Dinalva repassou datas para a Reunião de Pais, Festa Junina e o Projeto que encerrará o semestre letivo sobre a "Copa 2014. Muitas ideias surgiram, inclusive a ornamentação da festa junina que terá cores da Bandeira do Brasil.

Bastante animados, os Professores deram sugestões de como poderiam trabalhar com seus alunos o projeto apresentado.

Em seguida, passei a falar sobre os gêneros textuais, a Fundamentação Teórica, os blocos em que dividimos os respectivos gêneros, com o acréscimo do gingle e do slogan. Os "Envelopes da Linguagem" não poderiam faltar e os colegas tiveram a oportunidade de revelar os textos contidos em cada um deles. Para complementar, passamos no data-show o livro "O carteiro chegou" de Janet & Allan Ahlberg": Um verdadeiro passeio pelos gêneros textuais.

Como havíamos falado sobre a paródia nas artes, ilustrando com a "Mônica Lisa", trouxemos o vídeo "Mi ardi o ôi", com o grupo "Vira e mexe". Foram momentos bem descontraídos, onde os professores riram a valer das imitações, principalmente do Michael Jackson, com a música: "We Are The Word".

Dando continuidade à formação, lemos o texto "A moça Tecelã" e demos várias sugestões de trabalho com o mesmo, através dos gêneros textuais, devendo os professores, inclusive, fazer a a transposição didática do Projeto "Copa 2014", com seu alunado.

Para introduzir o assunto sobre o Projeto de Leitura, fiz a seguinte afirmativa ao grupo: "Ler devia ser proibido". A colega Elza Rocha disse que concordava pois talvez assim muitos passassem a ler, por ser algo proibido. Outras colegas olhavam com ar de dúvida ou de negação. Apresentamos então o vídeo de mesmo título, de Guiomar de Grammont e qual não foi o alívio que sentiram ao final do mesmo, concordando totalmente com autora.

Para surpresa de todas, trouxe alguns livrinhos e mostrei a elas as várias formas de ler um livro de acordo com algumas sensações: Tristeza, alegria, choro, soluço, gargalhando...Riram demais!!! Falei sobre os alunos que estão procurando a Biblioteca e que estamos, na medida do possível, entregando livros interessantes a eles. Na oportunidade, o vídeo com o livro "Zoom", de Istvan Banyai foi "lido" de "frente para trás" e de "trás para frente". Nova descoberta para algumas colegas.

Finalmente falamos sobre o Projeto de Leitura que não deverá acontecer como era no ano anterior, uma vez que a colega responsável por fazer o trabalho com os alunos não se encontra mais na escola. Mesmo assim, mostrei a elas minha disposição em preparar "Fichas de leitura" ou qualquer outro material que necessitem para trabalhar. A Supervisora Dinalva falou sobre o Projeto que vem sendo desenvolvido diariamente em sala de aula e que tem alcançado um resultado muito positivo. Algumas colegas disseram achar penoso para o aluno fazer registro em casa do livro lido uma vez que elas encontram dificuldades até em quem ajude nas tarefas de casa. Apesar de já terem um trabalho de leitura consolidado em sala de aula, ficaram de pensar uma forma de desenvolver mais esse projeto.

A Professora Cida falou da importância desses encontros, oportunizando retirar dúvidas. A Professora Ana Paula compartilhou material sobre os Gêneros Textuais e Literatura que já trabalha em sala de aula.

As Professoras Angela Barbosa e Ilza ficaram encantadas com os textos apresentados e disseram ter "mergulhado profundamente" em cada uma delas.

Uma avaliação escrita foi passada para analisarmos nosso trabalho e aprimorarmos nosso conhecimento para uma próxima Reunião. O resultado foi bastante satisfatório, tendo como ponto negativo nosso companheiro inseparável, o tempo, e como ponto positivo em todas as fichas, um "gostinho de quero mais".


                                               - Capa do livro "Zoom" -
Sugestões:

http://www.youtube.com/watch?v=EFMXhXJyJow  (Vídeo: "Mi ardi o ôi")

http://www.youtube.com/watch?v=iRDoRN8wJ_w (Vídeo: "Ler devia ser proibido".)

http://pt.slideshare.net/carlaferreira3785/o-carteirochegoujaneteallanahlberg  (Slides do livro "O Carteiro chegou").

06/03/14

Carnaval do João Valle

A E.M.João Valle Maurício brilhou na apresentação do Carnaval/2014, com o bloco "A magia do Circo", que contou com a  participação de seis escolas municipais. 
Fantasiadas, as alunas trouxeram toda a alegria do universo circense. Foram momentos bastante descontraídos em que a população participou ativamente com a volta do Carnaval em Montes Claros.
Entusiasmada com o resultado divulgado,  a diretora Ana Alice postou em uma rede social: "  O importante é que nos quesitos compromisso, responsabilidade, esforço e competência, a nossa equipe ganha sempre..."
Participaram do desfile as escolas municipais: Afonso Salgado, Alcides Carvalho, Egídio Cordeiro, Jair Oliveira, João Valle Maurício e Maria de Lourdes Pinheiro.  
Abaixo, fotos marcantes do desfile de nossa escola e também das escolas participantes.
     
Bruna, porta-bandeira da ala do "Mundo Mágico", acompanhada das colegas Geisiane, Rejane, Érica, Graziela e Jenifer, da E.M.João Valle Maurício.


















Vice-diretora Margareth, Val- coordenadora do Mais-Educação e Vera, professora de Geografia.
Foto: Sheila Revert.
Bloco das baianas - alegria e entusiasmo na apresentação...
Porta-bandeira Bruna, em pose para este blog.
Haroldo, ícone de Montes Claros, representando a maravilhosa figura do Palhaço.
Rainha do carnaval / 2014 -
Apresentação circense
Guilherme, a frente da bateria - E.M.Alcides Carvalho
Prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz e sua esposa Raquel Muniz, ladeados por alunos da E.M.João Valle Maurício, acompanhados do Mestre de Bateria, Guilherme, da Rainha do Carnaval e alunos participantes do Bloco "A Magia do Circo", vencedores da 1ª tarde do Carnaval na Pampulha.
Foto: Facebook de Raquel Muniz
Expectativa das alunas do João Valle aguardando o resultado para a premiação do "melhor bloco".
Fotos: Acervo particular - Margareth Dumont.
Divulgação do Carnaval de Montes Claros na famosa "Pampulha": Carnaval na Lagoa Interlagos.

22/02/14

"Espírito carnavalesco"


Aproximando a semana do carnaval, nada como aproveitar a data e colocar os alunos para escrever...
Relembro aqui uma atividade do GESTAR (Gestão em Aprendizagem Escolar), Curso que fiz pela UNB e repassado por mim aos Professores da Prefeitura de Montes Claros.

Na oportunidade, friso que é bastante interessante não entregar o texto completo aos alunos. Vá somente até essa frase: "– Quero que você vá lá e mande eles pararem com esse barulho."
Deixe que eles completem a história. Que criem à vontade.
O que terá acontecido? O marido saiu para resolver o problema? Não saiu??
Peça que escrevam o que sentirem vontade em relação ao texto. Sempre lembrando que deverá ter um conteúdo que possa ser lido em sala de aula.
 Após, a turma lerá os vários finais que foram criados e somente depois é que o verdadeiro final deverá ser lido pelo(o) professor(a) e verificado quem mais se aproximou do final da história criada pelo autor.
Sairão textos interessantíssimos!!!!
..............................................................
"Nesta parte da oficina, vamos desenvolver uma crônica a partir de um trecho do texto de Moacyr Scliar, publicado em O imaginário cotidiano. São Paulo: Global, 2002. p. 155"

Espírito Carnavalesco

“Ensaios da escola de samba Mocidade Alegre atrapalham sono de moradores da região.”
Cansado, ele dormia a sono solto, quando foi bruscamente despertado pela esposa, que o sacudia violentamente.
– Que aconteceu? – resmungou ele, ainda de olhos fechados.
– Não posso dormir. – queixou-se ela.
– Não pode dormir? E por quê?
– Por causa do barulho – ela, irritada: - Será possível que você não ouça?
Ele prestou atenção. De fato, havia barulho. O barulho de uma escola de samba ensaiando para o carnaval: pandeiros, tamborins… Não escutara antes por causa do sono pesado. O que não era o caso da mulher. Ela exigia providências.
– Mas o que quer você que eu faça? perguntou e, agora, também irritado.
– Quero que você vá lá e mande eles pararem com esse barulho.
(…)
– De jeito nenhum – disse ele. – Não sou fiscal, não sou policial. Eu não vou lá.
Virou-se para o lado, com o propósito de conciliar de novo o sono. O que a mulher não permitiria: logo estava a sacudi-lo de novo.
Ele acendeu a luz, sentou na cama:
– Escute, mulher. É carnaval, esta gente sempre ensaia no carnaval, e não vão parar o ensaio porque você não consegue dormir. É melhor você colocar tampões nos ouvidos e esquecer esta história.
Ela começou a chorar.
– Você não me ama – dizia, entre soluços: – Se você me amasse, iria lá e acabaria com a farra.
Com um suspiro, ele levantou-se da cama, vestiu-se e saiu, sem uma palavra.
Ela ficou à espera, imaginando que em dez ou quinze minutos a batucada cessaria.
Mas não cessava. Pior: o marido não voltava. Passou-se meia hora, passou-se uma hora: nada. Nem sinal dele.
E aí ela ficou nervosa. Será que tinha acontecido alguma coisa ao pobre homem? Será que – por causa dela – ele tinha se metido numa briga? Teria sido assassinado? Mas neste caso, por que continuava a batucada? Ou seria aquela gente tão insensível que continuava a orgia carnavalesca mesmo depois de ter matado um homem? Não aguentando mais, ela vestiu-se e foi até o terreiro da escola de samba, ali perto.
Não, o marido não tinha sido agredido e muito menos assassinado. Continuava vivo, e bem vivo: no meio de uma roda, ele sambava, animadíssimo.
Ela deu meia-volta e foi para casa. Convencida de que o espírito carnavalesco é imbatível e fala mais alto do que qualquer coisa.


Biografia
Moacyr Scliar nasceu em Porto Alegre/RS  -  23/03/1937; Médico e escritor. Ganhador de vários prêmios como o Érico Veríssimo (1976) e o Jabuti (1988, 1993 e 2000), colaborou com rádios, TVs e jornais como o Zero Hora, de Porto Alegre, e a Folha de São Paulo. Faleceu: 27/02/2011 em Porto Alegre - RS.

03/02/14

Dinâmica: HISTÓRIA DO CHAPEUZINHO VERMELHO

Antes de iniciar a história, explicar que a dupla ou o trio de participantes só poderá pegar o objeto que está no centro deles (copo, bolinha, etc.) quando for dita a palavra vermelho. As mãos dos participantes deverão ficar para trás (se estiverem de pé) ou no colo (se estiverem sentados) durante a leitura, para que todos tenham a chance de pegar o objeto.
Esse exercício nos oferece a oportunidade de trabalhar: atenção auditiva, reflexo, prontidão, o lúdico, alegria e o prazer de brincar, saber ganhar e perder, e também o respeito pelo outro.

                Era uma vez uma menina muito bonitinha. O nome dela era Gerardona. Gerardona gostava muito de brincar. Morava bem perto da floresta.
                Como vocês sabem, Gerardona tinha uma avó. A avó de Gerardona morava na floresta. Um dia Gerardona ganhou um lindo vestido da vovó. A cor deste vestido era verde. Gerardona gostou muito, mas ficou apertado para ela.
                Ela resolveu trocar o vestido. Chegando à loja viu muitas cores: azul, verde, violeta, amarelo... Mas ela quis mesmo foi o vermelho.
                E Gerardona, tanto usou este vestido, desta cor, que ficou com o apelido de Teimosa. E Teimosa pra aqui, Teimosa pra lá...que ela foi ficando chateada com este apelido, reclamou à mãe, que por sua vez foi reclamar com o prefeito. Este baixou uma portaria proibindo de chamá-la de Teimosa. E a partir deste dia, o nome dela foi Chapeuzinho Vermelho.
                Um dia a mãe a chamou e disse:
_ Chapeuzinho, vá levar umas frutas à vovó. Ela está doente!
                Chapeuzinho pegou a cesta e saiu pelo caminho da floresta. Chegando no meio do caminho, viu uma moita de capim em movimento. Perguntou:
_ Quem é?
_ Eu, o lobo!
                De repente saiu de lá um moreno alto, de olhos verdes, bonito e sensual. Chapeuzinho se assustou:
_ É você o lobo mau?
                O lobo não deu atenção àquilo, estava com fome e disse:
_ Dê pra mim uma destas maçãs?
                Chapeuzinho respondeu:
_ Não, são da vovó!
_ Apenas uma! Que lindas maçãs!
_ Não! Respondeu Chapeuzinho. Mas depois mudou de ideia e disse:
_ Só um pedaço desta verde, pois a vermelha é da vovó!
                Mais que depressa o lobo foi embora e chegou na casa da vovó. Tocou a campanhia: Blim, bom!!!
_ Quem é? Perguntou a vovó.
_ Sou eu, Chapeuzinho Vermelho!
_ Entre, minha netinha.
_ Não posso, a porta está fechada!
_ Ah, é mesmo! Pegue a chave que está aí neste vaso verde!
                O lobo entrou e pegou a vovó, colocou dentro do guarda-roupas e vestiu um vestido dela, que era branco com bolinhas vermelhas.
                Aí chegou Chapeuzinho, assustou-se ao ver o lobo pensando ser a vovó. Surgiram as perguntas e respostas de sempre:
_ Vovó, pra que estas orelhas tão grandes?
_ Pra te ouvir!!!
_ Pra que esta língua tão vermelha?
_ Estou com febre e estomatite!!!
                Mas Chapeuzinho não engoliu as falas do lobo, percebeu que era malandragem. Saiu correndo atrás dele pela floresta afora. Quem aparece? O caçador!!! Mais que depressa tirou o celular do bolso e chamou os Power Rangers. Apareceram, imediatamente, o azul, o verde e o vermelho. Juntos deram uma lição de moral no lobo que, vermelho de vergonha, volta, tira a vovó do guarda-roupas e sai correndo. Machuca-se na cerca, ficando com a pata vermelha de sangue.

                Assim termina a história de Chapeuzinho Vermelho!!! 

25/01/14

Dinâmicas para a sala de aula / 2014

O espaço escolar deve ser um lugar agradável, onde toda Comunidade Escolar precisa sentir aconchego e vontade de voltar...

Nada melhor então do que preparar o ambiente para receber Alunos e Professores com novidades, música nos intervalos, um lanche coletivo e algumas brincadeiras para amenizar o clima de seriedade que às vezes norteia alguns prédios escolares.

Abaixo, algumas dinâmicas que encontrei, navegando pela net...

Caso tenha alguma atividade que queira compartilhar conosco, basta publicar nos comentários ou enviar para o meu e-mail: sheilarevert@hotmail.com

Tenha um excelente ano de 2014!!!



1-DINÂMICA DE INTEGRAÇÃO: FEITIÇO (convivência saudável)

Objetivo: Estimular as relações de confiança e amizade entre as crianças.
Material: Tarjetas de papel em branco, canetas, alunos sentados e em círculo.
Procedimentos: Distribuir as tarjetas para as crianças; cada criança escreverá na tarjeta o que o seu vizinho da direita deverá fazer perante o grupo; o vizinho não poderá ver o escrito; depois que todos tiverem escrito, o professor falará que “o feitiço virou contra o feiticeiro”; agora cada um vai fazer aquilo que propôs para o companheiro fazer; analise, com o grupo, como a vida pode trazer surpresas e como são nossas atitudes diante delas; fazer um “gancho” falando sobre as coisas que acontecem diariamente na escola, durante o intervalo, na chegada, na saída da escola, fatos inesperados, como esbarrões, tropeções de um colega... e como reagimos; o que é correto fazer.

2-DINÂMICA DE INTEGRAÇÃO: O ABISMO(cooperação)

Objetivo: Favorecer o espírito de cooperação.
Material: Sala ampla, fita crepe, alunos em pé.
Procedimentos: Utilizando a fita crepe, marcar no chão duas faixas paralelas próximas representando um “abismo”; colocar todos os alunos do mesmo lado do “abismo”; explicar que deverão atravessá-lo de forma diferente, não podendo repetir o que já foi feito; ao final, restarão poucos para atravessarem o “abismo” e acharão que não tem outra forma de fazê-lo, pois todas as formas já foram mostradas; estimular, a partir daí, a ajuda do grupo no sentido de dar sugestões aos que ainda não atravessaram, promovendo uma vivência de estímulo e cooperação; quando todos tiverem atravessado, pedir que se sentem para refletir sobre a dinâmica.
Reflexão: Qual o sentimento daqueles que ficaram para o final? E o que sentiram quando os colegas começaram a ajudar na travessia? Como se sentiram ajudando os colegas? Promover outras reflexões.

3-DINÂMICA DE INTEGRAÇÃO: CAMINHADA DA CONFIANÇA (responsabilidade)

Objetivo: Sensibilizar as crianças sobre a importância de ter responsabilidade.
Material: Espaço aberto ou sala ampla, vendas de TNT escuro suficientes para todos os alunos.
Procedimentos: Dividir a turma em duplas; entregar uma venda para cada dupla; pedir que decidam quem vai ser o primeiro a usar a venda; explicar que o colega que está vendado deverá ser conduzido pelo seu par que poderá dar informações sobre o trajeto: escadas, declive, buraco...; depois de alguns minutos, inverter os papéis; ao final, iniciar uma reflexão sobre sensações e pensamentos que surgirão enquanto estava vendado depois quando conduzia o colega.
Reflexão: Como você se sentiria se seu condutor não agisse com cuidado e responsabilidade? Deixar que as crianças falem.

4- DINÂMICA: TEMPESTADE(descontração/acolhida para novo tema)

Objetivo: Promover a descontração dos alunos do grupo/assimilação ou discussão sobre um conteúdo/levantamento de conhecimento prévio sobre determinado assunto. Material: Sala ampla com cadeiras suficientes para cada aluno. Procedimentos: Pedir que todos os alunos fiquem sentados em círculo(não deverá sobrar cadeira vazia); explicar o jogo: “Vamos fazer uma viagem...nós vamos para o alto mar; lá ocorrem grandes e ondas; eu sou o capitão deste navio e estou atento. Toda vez que tiver uma grande onda do lado direito do navio eu avisarei e vocês deverão pular para a cadeira da direita; quando ocorrer uma onda do lado esquerdo, vocês pularão para a cadeira da esquerda e quando houver um sinal de tempestade e eu gritar “TEMPESTADE!”, todos vocês deverão trocar de lugar; nesse momento o professor retira uma cadeira e assim vai sobrar um aluno em pé que ficará atento para a próxima viagem do navio, para enfim procurar um lugar para sentar.


5- DINÂMICA: A MINHOCA (confiança /descontração)

Objetivos: Integrar a turma num momento de descontração/Proporcionar o estabelecimento da confiança entre os alunos e o professor.
Material: Sala ampla ou espaço aberto. Procedimentos: Peça a turma grupo que fique em pé e em círculo; oriente que formem uma fila indiana onde cada aluno deverá colocar as mãos sem soltar no ombro do colega da frente; peça que todos fechem os olhos e que o primeiro da fila, fique de olhos abertos e conduza o grupo pelo espaço disponível; caso o local permita, solicite ao condutor da fila que desça degraus, passe por portas e corredores, enfim tudo que possa sugerir “perigos” que serão vencidos pela confiança do grupo na pessoa que o conduz; sugerir a troca do condutor em algum momento durante o percurso; prosseguir a dinâmica pedindo aos alunos que digam como se sentiram sendo guiados pelos colegas; correlacione acerca da confiança que o grupo deposita no seu professor.
.
6-DINÂMICA: APRENDENDO O NOME (apresentação)

Objetivo: Integrar a turma, aprender e fixar o nome dos colegas.
Material: Sala ampla
ProcedimentosSolicite que o grupo, em pé, forme um grande círculo; a seguir, inicia-se o exercício: dê um passo à frente, diga seu nome de forma diferente; acompanhado de um gesto com as mãos, ou com todo o corpo, quando então, as pessoas do grupo repetem em coro o nome do professor e fazem o mesmo gesto; prosseguindo, a pessoa à direita do professor diz seu nome e cria um novo gesto. O grupo repete o nome e o gesto do colega, e assim sucessivamente, até todos se apresentarem.

7-DINÂMICA: ÁRVORE DAS QUALIDADES(auto estima)

Objetivo: Identificar qualidades e valores/ Favorecer a descontração dos alunos/Conhecer e reconhecer qualidades nos colegas.
Material: Tronco de árvore confeccionado em cartolina, fita adesiva, flores previamente confeccionadas com miolo e cinco pétalas.
ProcedimentosColar o tronco na parede ou no quadro; explicar que agora iremos pensar em qualidades que temos(explicar o que é qualidade); explicar que essas qualidades nos deixam felizes e fazem com que os outros também fiquem felizes com isso, amigos, professores, família; pedir que escrevam uma qualidade em cada pétala e no centro(miolo) o nome; após todos terminarem a parte escrita, iniciar a montagem da árvore, chamando um a um no painel, para colarem a flor, falando o nome e as qualidades que tem; ao final, fechar ressaltando que todos nós temos qualidades e elas devem ser preservadas para o nosso bem e nossa felicidade.

 Fonte: Dinâmicas retiradas de:
http://orientacaoeducacionalemacao.blogspot.com.br/2011/02/dinamicas-para-o-espaco-escolar.html