05/08/2010

Ternos pingos de saudade

Letra: Cândido Canela

Música: Téo Azevedo

Ternos pingos de saudade

Lampejos do coração

Pedaços de lua cheia

Caindo pela amplidão.


Ternos pingos de saudade

Viola feita em canção

Pôr de um sol amortecido

Tardes mortas do sertão.


Arrulho da pomba rola

E o triste do jaó

Da zabelê

E das catingas

E do inhambu chororó.


Do canto da mãe da lua

Da inhuma triste choreira

Do caburé lamentando

Na fronde

Da gameleira.


Ternos pingos de saudade

Noite alta

Céu brilhante.

Relinchar de um potro ao longe

Cantar de um galo distante.


Ternos pingos de saudade

Saudade que não consola

Batucada sertaneja

No pontear da viola.


Ternos pingos de saudade

Juventude que se foi

Triste canto da madrugada

De um velho carro de boi.


Gemer de um engenho ao longe

Moendo chorando à toa

Qual a voz de um cururu

Bem distante na lagoa.


In: descortinandoasletras.blogspot.com


Com este poema/música, os autores participaram de concurso musical, a nível nacional, da Rádio Record de São Paulo, sendo classificados em primeiro lugar geral.


Para ouvir Ternos pingos de saudade na voz de Jackson Antunes, vá em: http://paraisosertanejo.blogspot.com e clique em - Marcadores - Téo Azevedo e convidados (1º Encontro de Violeiros- Brasil com S - Faixa 5).

Nenhum comentário: